• LinkedIn
  • Assine nossos Feeds
Browsing "Dicas"

Profissionalizado, negócio de rua não sabe o que é crise

jun 30, 2014   //   by admin   //   Dicas  //  No Comments

650

Com investimentos que variam de R$ 18 mil a R$ 200 mil, retorno de lucro rápido e menos custos operacionais, os negócios de alimentação na rua crescem e se profissionalizam em Ribeirão Preto.
Somente nos últimos dois anos, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, o número de microempreendedores que trabalham com serviço ambulante de alimentação na cidade dobrou.

Hoje, estão registrados 506 negócios do tipo, cerca de 3% do total de MEIs existentes na cidade.
“A principal característica desses vendedores de alimentos nas ruas, perfil que mudou nos últimos anos, é o registro no programa Microempreendedor Individual.

Hoje, a maioria dos donos de carrinhos e trailers são MEIs, o que facilita o processo e aumenta a formalização”, diz Oswaldo Braga, chefe do Departamento de Fiscalização Geral da Prefeitura.
Uma das vantagens está, por exemplo, na isenção da taxa de R$ 10 de inspeção da Vigilância Sanitária, que é obrigatória para os vendedores ambulantes de alimentos.

E ainda segundo Braga, a formalização pelo MEI desse tipo de negócio fez com que a alimentação nas ruas de Ribeirão se profissionalizasse.

“Hoje temos negócios mais organizados e ideias diferentes, que chamam a atenção e se destacam”, diz. E um desses destaques, que é notado por todos que passam pela Avenida Treze de Maio após as 19h, é o carrinho com um forno a lenha, do microempreendedor Fabrício Formoso.

Negócio de família, a microfranquia de pizzas que nasceu na cidade de Espírito Santo do Pinhal chegou a Ribeirão há um ano.

“É um negócio muito bom, fez sucesso aqui, temos movimento todos os dias e o processo é bem mais fácil. Como não temos aluguel para pagar, só temos os custos com o produto. O lucro fica maior”, diz Fabrício, que chega a vender 120 minipizzas por noite na avenida.

Os investimentos no carrinho foram pagos em dois meses de trabalho, o empreendedor e a mãe ficam de quarta-feira a domingo na avenida e já têm planos de expansão do negócio. “Até o final do ano vamos investir em um outro carrinho em outro ponto da cidade”, diz.

‘Boa alternativa para conhecer o mercado’

A alimentação na rua, em pontos ambulantes, é uma tendência em Ribeirão Preto, de acordo com o Sebrae-SP.

O órgão tem um núcleo de apoio aos negócios ligados à alimentação e vê o crescimento gradativo dos chamados “food trucks” (pequenos caminhões, vans ou ônibus especializados de alimentação) em Ribeirão Preto.

“Ainda não existe um movimento tão forte como em São Paulo, mas os negócios têm crescido. O número de negócios é cada vez maior e são ideias diferentes, novos investimentos”, diz a gestora do programa de alimentação do Sebrae Ribeirão, Daniele de Paula.

Ainda segundo Daniele, para quem quer investir no ramo de alimentação –que está entre os que mais crescem na cidade- começar com um negócio na rua é uma boa opção.

“É uma alternativa para quem quer conhecer o mercado e não tem um recurso para abrir um ponto fixo. Ter um carrinho, que tem um investimento menor, traz essa possibilidade de crescimento”, diz.

Treze de Maio e Presidente Vargas são disputadas 

Os dois principais corredores de negócios de alimentação na rua em Ribeirão estão nas Avenidas Treze de Maio e Presidente Vargas. “São avenidas de grande movimento, com fluxo grande de carros, o que torna um espaço interessante para esse tipo de negócio”, diz Oswaldo Braga, chefe do Departamento de Fiscalização Geral da Prefeitura.

Clientes fiéis da comida de rua, o casal Bruno Ferreira da Silva, 25 anos, e Bruna Villela, 20, destacam a praticidade dos negócios. “É mais fácil e mais rápido, a gente vem sempre. E hoje são muitas opções na cidade, o que é bom”, diz.

Os preços também atraem os clientes, como os custos são menores, os valores ficam mais em conta. Na maioria dos carrinhos, é possível encontrar alimentos a partir de R$ 7,00.

Martins começou com caminhão e hoje tem ônibus

E foi o que aconteceu com o empreendedor Wilson Cesar Martins, que há dez anos vende cachorro-quente nas ruas de Ribeirão. Ele começou com um negócio pequeno, em um trailer, já teve um caminhão, uma van e, desde dezembro de 2012, está com um ônibus na Avenida Treze de Maio.

“Já tinha planos de alguma coisa mais arrojada, diferente do que existe no mercado. Valeu a pena o investimento. É uma opção na rua, mas com lugares para sentar dentro do ônibus também, isso que agrada o cliente. Em Ribeirão existe essa tradição de comer nas ruas e um negócio diferente na rua chama a atenção”, diz Martins.

O empreendedor disse ainda que levou um ano e meio para conseguir montar a estrutura do ônibus, agora, os planos são de expansão do negócio. “Vou continuar na rua, mas com quatro novos pontos em modelo de franquias.”

Alimentação durante a Copa pode ser saborosa e saudável, indica nutricionista

jun 27, 2014   //   by admin   //   Dicas  //  No Comments

dreamstime_xs_20207319

Reunir amigos e familiares para assistir aos jogos da seleção durante a Copa do Mundo é uma tradição compartilhada por muitos brasileiros. Cerveja, churrasco, pipoca, refrigerante, salgados e outros alimentos industrializados também fazem parte da festa. Mas, de acordo com a nutricionista da Estância do Lago Wellness  Thais Brito, é possível trocar as comidas gordurosas por alimentos mais saudáveis sem perder o sabor e o clima de confraternização.

Os dados mais recentes sobre obesidade no Brasil, registrados pela Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico) em 2012, revelam que 51% da população está acima do peso ideal.

As consequências do excesso de peso são muito graves e podem promover males como ataque cardíaco, derrame, diabetes tipo 2, pressão alta, insuficiência cardíaca congestiva, câncer de próstata, de cólon e de reto, cálculos biliares, gota, osteoartrite de joelho e apneia do sono. E o excesso de calorias é o grande vilão nessa história.

Pensando nisso, faz-se necessária a reeducação alimentar para uma vida saudável. “É possível fazer alterações graduais na dieta para não eliminar as comidas prediletas. Diminua, por exemplo, a ingestão de frituras e álcool”, afirma Thais.

A Copa do Mundo pode ser um bom começo para começar a se alimentar melhor. Para substituir os alimentos gordurosos e maléficos à saúde, Thais dá algumas sugestões de cardápio.

– No lugar das guloseimas gordurosas, como queijos e salames, monte uma mesa de frutas.

– Troque a pipoca por biscoitos de polvilho, que contêm baixas calorias, ou por oleaginosas, como amêndoa, avelã, castanha de caju, castanha-do-pará, macadamia e nozes.

– No intervalo das partidas – momento em que todos se reúnem para beliscar a comida – sirva brusquetas com pão integral.

– Deixar a cerveja de lado durante os jogos é um grande desafio, mas você pode aproveitar o frio para servir quentão de suco de uva com canela e gengibre.

Alimentação auxilia imunidade contra doenças respiratórias

jun 3, 2014   //   by admin   //   Dicas  //  No Comments

alimentacao-doencas-respiratorias

O outono é caracterizado pelas noites mais longas que os dias. Por ser uma estação de transição entre o verão e o inverno, apresenta características mescladas, como mudanças bruscas de temperatura, diminuição da umidade do ar e aumento da amplitude térmica, que representam fatores agravantes de doenças respiratórias, como gripes e resfriados.

Uma alimentação equilibrada e rica em vitaminas e minerais pode aumentar a resistência imunológica, diminuindo a susceptibilidade a essas ocorrências.

“Para consumir a quantidade necessária de vitaminas e minerais, o ideal é diversificar sempre o consumo dos alimentos, principalmente frutas, legumes, verduras e leguminosas”, comenta Beatriz Botéquio, nutricionista pós-graduada em promoção da saúde pela USP.

Por conta das quedas de temperatura comuns durante o outono, o organismo aumenta o metabolismo na tentativa de elevar sua temperatura corporal.

Assim, há um pequeno aumento da necessidade calórica para manter a temperatura ideal do corpo, e também aumentar a imunidade.

Para ajudar o organismo nessa tarefa, devemos dar preferência a cardápios nutritivos, como sopas cremosas, canjas com legumes e carne, vitaminas de frutas e cereais integrais.
O consumo de alimentos gordurosos, como o chocolate, carnes vermelhas com gordura aparente e bolachas recheadas, deve ser moderado.

Para uma alimentação equilibrada e que fortaleça a imunidade para o Outono, um dos pontos essenciais é o consumo adequado de proteínas.

As proteínas são fundamentais na estrutura das células do organismo, manutenção e construção de massa muscular e sistema imunológico, proporcionando “força” ao corpo.

É muito importante também não se esquecer de consumir líquidos, uma vez que durante os períodos de frio, a sensação de sede diminui e as pessoas se esquecem de se hidratar.

“Uma boa combinação de proteína e fonte de hidratação são as bebidas à base de soja. Considerada um dos mais completos alimentos de origem vegetal, a soja fornece proteína de alto valor biológico, que contém todos os aminoácidos essenciais e em quantidades suficientes”, diz Beatriz.

Uma opção prática e nutritiva para proteger sua saúde nessa época do ano são as bebidas que combinam a proteína da soja com fibras, cálcio, fósforo e potássio, além das vitaminas do complexo B, que junto com o zinco, contribuem para o metabolismo energético, captação e utilização das proteínas e manutenção do sistema imunológico.

“Desta forma, as bebidas à base de soja podem compor a alimentação em todas as fases da vida, proporcionando importantes nutrientes ao organismo e fortalecendo nosso sistema imunológico e, consequentemente, preparando o organismo para as alterações climáticas”, finaliza Beatriz.

Não deixe faltar disposição no outono. Evite a gripe, o cansaço e a preguiça nesse outono/inverno: invista em alimentos nutritivos e que irão ajudar na sua imunidade.

Ansiedade: saiba como combatê-la através da alimentação!

maio 27, 2014   //   by admin   //   Dicas  //  No Comments

ANSIEDADE-ALIMENTACAO-LENUTRITIFF

A ansiedade excessiva associada ao estresse é muito comum hoje em dia. A falta de tempo, busca pela ascensão profissional, problemas financeiros, familiares e profissionais são alguns fatores que podem tornar as pessoas menos produtivas, menos felizes, mais estressadas e com maior apetite.

O consumo de bebidas alcoólicas, cafeína, doces, refrigerantes a base de cola, chá preto e alimentos com alto teor de gordura podem aumentar essa ansiedade, por isso, faça a escolha certa dos nutrientes na hora de suas refeições (5 a 6/dia) e pratique atividades físicas.

Ômega-3: breca a ansiedade e facilita a atuação da serotonina, que cria a sensação de bem-estar. Fontes: linhaça, óleos vegetais, azeite de oliva, atum, sardinha e salmão.

Triptofano: precursor da serotonina. Fontes: banana, leite, arroz integral, soja, feijão, chocolate amargo, peixe, aves, carne bovina, manga e abóbora.

Magnésio: mineral que ajuda a acalmar os nervos e bloqueia um receptor que causa uma excitação exagerada no cérebro. Fontes: cereais e grãos integrais, abacate, nozes, castanhas, amêndoas e vegetais folhosos.

Complexo B: mantêm o corpo em ordem e a B6 e o ácido fólico são essenciais para a formação do neurotransmissor serotonina. Fontes: feijões, lentilha, grão-de-bico, cereais integrais, aspargos e couve.

Cálcio: administra a transmissão de impulsos nervosos e gerenciar a contração muscular.Fontes: leite e derivados, vegetais verde-escuros, salmão e gergelim Fontes: leite e derivados, vegetais verde-escuros, salmão e gergelim.

Vitamina C: ajuda a reduzir a produção do hormônio do estresse e combater as moléculas nocivas que fazem a “festa” em momentos de tensão.  Fontes: acerola, limão, laranja, morango, caju, brócolis e rúcula.

Adote uma alimentação balenceada com 6 alimentos saudáveis e baratos

maio 22, 2014   //   by admin   //   Dicas  //  No Comments

le-nutritiff-brocolis

Muitas pessoas possuem hábitos alimentares ruins usam como desculpa o tempo e a falta dedinheiro.Uma boa alimentação exige esforço e força de vontade, mas pode ser menos trabalhosos do que muitos imaginam. O Ciclo Vivo  separou algumas opções de alimentos para uma alimentação saudável eeconômica.

Banana

Rica em vitamina B, ferro e magnésio, a fruta auxilia o sistema nervoso, combate a anemia e evita câimbras. Além disso, possui um componente chamado Trypotophan, um aminoácido precursor da serotonina, que está diretamente relacionado aos processos bioquímicos de humor e sono.

Espinafre

Com grande poder nutricional, esse vegetal fortalece os músculos, uma vez que possui uma variedade de vitaminas e minerais, fibras, proteínas. Além disso, possui antioxidantes que ajudam a evitar a hipertensão e osteoporose. Não é à toa que era o principal alimento do personagem dos quadrinhos: Popeye.

Brócolis

Rico em ácido fólico, o alimento reforça a imunidade do corpo. Repleto de vitaminas, como A, C, B1, B2, B6, K, o brócolis é considerado um super alimento e de poucas calorias. Os minerais presentes neste vegetal também ajudam a manter a pele sempre saudável.

Cenoura

Ideal para um lanche saudável ou para uma sopa, as cenouras também são muito resistentes e, por isso, é sempre bom tê-las na sua geladeira. A história de que este alimento é bom para a “vista” não é lenda, de fato, a ciência explica que as cenouras são ricas em betacaroteno, que se transforma em vitamina A no fígado. A vitamina, por sua vez, vira a proteína rodopsina, um pigmento necessário para visão noturna.

Iogurte natural

Acrescente frutas frescas da estação, que são mais baratas, e terá um delicioso lanche ou café da manhã. Além de saboroso, o iogurte possui diversos nutrientes oferecidos no leite, como proteínas, vitaminas, carboidratos e sais minerais.

Berinjela

Fonte de minerais e vitaminas, esta verdura possui muita água, o que ajuda na hidratação do corpo. Ainda é rica em fibras, que auxilia no bom funcionamento intestinal e ainda fornece poucas calorias. Prepare o vegetal em forma de salada, cozida, assada ou refogada.

Veja como ajudar seu filho a controlar a alimentação

maio 20, 2014   //   by admin   //   Dicas  //  No Comments

le-nutritiff-filho-come-demais

Alguns pais reclamam que o filho não se alimenta, enquanto outros se queixam que ele exagera. O fato é que comer em demasia não é bom e isso pode estar ligado a fatores fisiológicos (próprios da idade), alimentares (como a falta de horário fixo) e psicológicos (como ansiedade). Por isso, é preciso atenção e informação para saber equilibrar a alimentação de seu filho.

Tudo começa na idade pré-escolar, que vai até os seis anos. Trata-se de uma fase de transição que se caracteriza, entre outros, por um comportamento alimentar imprevisível e variável, ou seja, a criança pode comer mais em alguns períodos e pouco em outros.

Se o seu filho está nessa fase ou já passou dela, vale investir na reeducação alimentar para que ele adquira bons hábitos. “O primeiro passo é observar como ele se comporta: o que come em excesso e em quais refeições”, comenta o pediatra Victor Nudelman, do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, que, a seguir, dá dicas para ajudar a criança a comer menos e melhor.

Não pule o café da manhã
Se a criança não toma o café da manhã, há mais chance de ficar com fome em outras refeições ou ingerir guloseimas. Isso traz prejuízos, não só alimentares, mas para o desenvolvimento e até mesmo o aprendizado.

Estabeleça horários para comer
Se você percebe que a criança não come nada à tarde e muito no jantar, precisa mudar esse hábito. “Fracione as refeições em cinco ou seis, incluindo a ceia, e com horários específicos para a alimentação, num intervalo de duas a três horas”, alerta o pediatra.

Inclua fibras nas preparações
Frutas, verduras, legumes e alimentos integrais são fontes de fibras e boas ao organismo. “As fibras aumentam a sensação de saciedade e fazem com que a criança passe a ter menos fome”, argumenta Victor.

Controle a ingestão de líquidos
A criança pode até ingerir um copo de água durante as refeições, mas o líquido e, principalmente o refrigerante, distendem o estômago, podendo dar o sensação de saciedade precocemente. Ofereça água ao longo do dia, assim na hora de comer ela não sentirá sede.

Não peça para “limpar o prato”
Todos nós nascemos com um mecanismo interno de sensação de saciedade. Mas ele passa a não funcionar direito quando os pais pedem para a criança “limpar o prato” e ela acabando comendo mais do que deveria.

Observe o comportamento de seu filho
A criança ou a família pode estar passando por algum problema e buscar na comida uma espécie de válvula de escape. “Existem crianças que comem muito e isso é por conta da ansiedade desencadeada por algo que não vai bem. Mas só um especialista, como um psicólogo, para avaliar o caso e orientar como a família deve proceder”, sentencia o médico.

Alimentação correta é primordial antes e depois da atividade física

maio 19, 2014   //   by admin   //   Dicas  //  No Comments

academia

Nem só de academia vive o corpo desejado: a alimentação correta antes e após o treino irá definir grande parte do sucesso de um projeto, seja para emagrecer, seja para ganhar massa muscular, seja para manter. Além de fornecer o combustível para levantar peso, a comida também fornece ao corpo a energia para o crescimento e reparo necessário. Por isso, na hora das refeições, os objetivos perseguidos devem estar em mente, para que à mesa, o cardápio ideal possa os acompanhar.

Sendo um programa nutricional que varia de acordo com a composição corporal e o escopo final de cada um, esqueça as dietas prontas – de livros, Internet ou revistas. “É de fundamental importância a consulta com o profissional especializado – o médico nutrólogo, nutricionista, médico desportista, nutricionista desportista. A avaliação permite identificar como está o peso, a composição corporal (o que do peso da pessoa representa massa muscular ou massa gorda), e as condições de saúde”, orienta a nutróloga Isolda Campos, especialista pela USP e ABRAN, mestre e doutora em Medicina pela USP/ FMRP.

A primeira regra, a médica diz, é universal: nunca se exercite em jejum sobretudo pela manhã e quem precisa manter ou ganhar massa muscular. Em seguida, em termos de pré-treino, deve-se observar o volume da refeição e do tipo de atividade física a ser realizado.

“Se for após as três principais refeições, é necessário aguardar de 30 a 60 minutos. Após os lanches intermediários, pelo menos 15 a 30 minutos. Se for utilizado apenas suplementos de 15 a sem intervalo. Durante a noite, o glicogênio muscular é depletado no fígado, em outras palavras, o “estoque” de energia disponível para manter o metabolismo funcionando durante a noite (glicose) e para realizar as atividades iniciais ficam bastante reduzidos, então com a realização de atividade física sem alimento, parte da massa muscular pode servir de fonte de energia para os primeiros 30 minutos da atividade física”, alerta a nutróloga.

Quantidade certa

Comer é fundamental, assim como a quantidade equilibrada de comida: se houver exageros, também podem surgir problemas. “Pode vir o mal estar, porque o fluxo sanguíneo é desviado para a região do sistema digestório, para auxiliar no processo da digestão”, explica dra. Isolda.

A alimentação tanto para o ganho de peso (massa magra), como para o emagrecimento devem prezar pela variedade dos grupos de alimentos e adequação às necessidades individuais; “Recomenda-se três refeições principais, dois ou três intermediárias”, adianta a médica

Saiba intervalo ideal entre as refeições das crianças

maio 13, 2014   //   by admin   //   Dicas  //  No Comments

le-nutritiff-alimentacao-criancas

A regra de ouro vale também para crianças e adolescente: comer a cada três horas. Estabelecer esse tempo garante o bom funcionamento do metabolismo e apetite nas refeições. Sem contar que acaba com aqueles problemas que podem surgir quando se fica sem ingerir nada por muito tempo, como a sensação de fraqueza, alteração do humor tendendo para a irritabilidade e mau hálito.

Fibras garantem sensação de saciedade
Uma dieta equilibrada sugere de cinco a seis refeições diárias, com horários estabelecidos. Os alimentos devem ser variados, incluindo frutas, legumes e verduras e carnes. “Sirva também alimentos ricos em fibras em todas as refeições, o que garantirá a sensação de saciedade por um período maior de tempo, evitando refeições com intervalos menores de três horas”, comenta a nutricionista Ana Lucia Potenza, do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.

O que fazer se o tempo passar
Se o intervalo sem comer ultrapassar as três horas, para que as atividades do corpo voltem ao estado normal de funcionamento, deve-se ingerir uma quantidade pequena de calorias. “As refeições precisam ser leves e, gradativamente, ser aumentadas”, orienta Ana Lucia Potenza. Nesse caso, dê preferência às torradas, bolachas de água e sal, caldos, sucos naturais e água de coco.
Mas, para não chegar nesse estágio, o melhor é garantir as refeições de três em três horas. No início, até seus filhos se acostumarem, use lembretes (na geladeira, no celular, no computador) com os horários que devem ser seguidos e o que deve ser ingerido.

– Entre os benefícios de se comer a cada três horas estão ter apetite nas refeições e o bom funcionamento do metabolismo

-Criar horários fixos para as refeições acaba com aqueles problemas de quem fica em jejum por muito tempo: sensação de fraqueza, alteração do humor tendendo para a irritabilidade e mau hálito.

-O ideal é fracionar as refeições entre cinco ou seis (se incluir a ceia) por dia.

-Inclua fontes de fibras, que garantirão a sensação de saciedade por um período de tempo maior, evitando refeições com intervalos menores de três horas

-O cardápio diário deve ser variado e, sobretudo nas refeições principais, incluir carnes, peixes e aves.

-Frutas, verduras e legumes também ajudam na sensação de saciedade.

Alimentação ajuda no combate à osteoporose, diz nutricionista

maio 5, 2014   //   by admin   //   Dicas  //  No Comments

osteoporose__62828741b8

Aproveitando o mês de maio, quando se comemora o dia das mães, a nutricionista Karin Honorato mostra, na coluna desta segunda-feira (5), os melhores alimentos para a prevenção e combate à osteoporose – doença que atinge principalmente as mulheres.

“A osteoporose quer dizer ossos porosos, e frágeis, com mais tendências a fraturas. E a alimentação pode fazer a maior diferença para prevenir e combater a doença”, afirma a especialista. Segundo ela, as causas da doença está relacionada à falta de proteínas, minerais, e vitaminas, além do excesso de tabagismo e ausência de exercícios físicos.

Entre os destaques, estão as verduras escura. “São as melhores fontes de magnésio. E esse mineral é responsável por colocar o cálcio dentro dos ossos”, conta a nutricionista.

Karin Honorato afirma que o cálcio não está presente somente nos laticínios. “Eu chamo atenção para o feijão. Todos os tipos de feijão conseguem ter muito cálcio. Assim como a lentilha, o grão de bico e a ervilha. As sementes, principalmente a de girassol, não só possuem cálcio como também vitaminas do complexo B, responsáveis por essa absorção”, apresenta.

De acordo com a nutricionista, o figo possui magnésio, cálcio e fósforo, que também é responsável pela saúde dos ossos. Já a aveia, segundo Karin, é rica em cilício, que assim como o arroz integral, aumenta a produção das substâncias que fazem os ossos ficarem mais fortes.

“Alimentos derivados da soja também são importantes, porque possuem proteínas, cálcio e outros minerais associados”. Como exemplo, Karin cita o tofu, que é o “queijo” de soja. Por ser fermentado, traz uma melhor absorção do cálcio, conforme a nutricionista.

Karin também acrescenta que a atividade física é muito importante. “Principalmente a musculação que é tão indicada para esse caso”, destaca.

Ferro ajuda combater infecção e traz outros benefícios

mar 26, 2014   //   by admin   //   Dicas  //  No Comments

ferro

Quando os especialistas falam sobre alimentação de crianças e adolescentes, o ferro é um dos minerais mais lembrados. Não à toa. Crianças e adolescentes, sobretudo por estarem em fase de crescimento, necessitam ingerir alimentos fonte de ferro por vários motivos: o nutriente leva oxigênio para todas as células do organismo, atua na síntese (fabricação) das células vermelhas do sangue, ajuda a combater infecções, melhora a capacidade de aprendizagem e coordenação motora, auxiliando no desenvolvimento.

Sua ausência, porém, causa um dos problemas mais conhecidos dos brasileiros, a anemia. “Para crianças e adolescentes, recomenda-se a ingestão de 10 mg/dia de ferro. Após a menarca, as meninas devem ingerir 18 mg/dia”, explica o pediatra Benjamin Roitman, membro da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul.

Alimentação balanceada é o segredo

Para consumir a quantidade diária recomendada, é preciso ter uma alimentação variada e balanceada com alimentos fonte de ferro: verduras verde-escuro (espinafre, agrião, brócolis e couve) e leguminosas (feijão, ervilha e lentilha). “Mas a melhor absorção se dá com as fontes de ferro de origem animal, como as carnes vermelhas e de aves, e vísceras (coração e fígado)”, revela o especialista.

Por exemplo: um prato com um bife médio (150 g) e uma concha média de feijão já possui 9 mg de ferro. Se for acompanhado de cinco colheres de sopa de espinafre, já são mais 8,3 mg do mineral. “Para quem tem muita deficiência do nutriente, recomendamos o bife de fígado. Uma porção de 150 g tem 16 mg de ferro”, orienta o pediatra.

Reforce a absorção

 Vale saber que a ingestão de alimentos com vitamina C favorece a absorção do ferro. “Consumir carne e tomar suco de laranja é uma boa associação. A feijoada tradicional, com couve e laranja também é uma excelente combinação”, ensina Benjamin Roitman.

Entretanto, o especialista alerta: “deve-se evitar tomar leite ou ingerir seus derivados próximo às refeições; o cálcio compete com o ferro pela absorção no organismo. E, nesse caso, o ferro sempre perde”.

Páginas:12345»